Receitas mais recentes

Serena Williams e Marcus Samuelsson serão os anfitriões do 14º BNP Paribas Taste of Tennis anual

Serena Williams e Marcus Samuelsson serão os anfitriões do 14º BNP Paribas Taste of Tennis anual


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Estrelas do tênis e figurões da culinária estarão no evento de 22 de agosto

O Taste of Tennis do ano passado provou ser um sucesso, assim como o deste ano

Para abrir o US Open, Serena Williams e o chef Marcus Samuelsson receberão os 14º BNP Paribas Taste of Tennis anual em 22 de agosto. O evento de degustação, que acontece no centro de Manhattan, W New York, a partir das 19h. às 22h, contará com pratos preparados por 28 chefs renomados.

Os chefs que cozinharão no evento incluem: Top Chef Masters champion e Red Rooster HarlemÉ Samuelsson, RecetteJesse Schenker, Kin Shop, The Marrow, e PerillaHarold Dieterie, Jonathan Waxman do Barbuto, David Burke e Zac Young do David Burke Group e muito mais.

Jogadores de tênis profissionais, como a campeã do Aberto da França e medalhista olímpica de ouro Serena Williams, estarão jantando com os frequentadores deste evento de degustação.

Os ingressos estão vendidos on-line, e os lucros irão beneficiar o Fundação James Beard.


Arquivo do nosso próprio beta

30 contos (ish) com o tema AMIZADE. 'em laços que ligam.

Capítulo 1: A anatomia de Grey - quando for a hora certa

Resumo:

Mark acha que uma pequena noite de cerveja com os caras é bom

Notas:

(Veja o final do capítulo para notas.)

Texto do Capítulo

"Com licença?" - Derek começou com a veemência repentina de Mark.

"Você NÃO vai para a casa de sua esposa e filhos bonitos esta noite, cara, estou batendo o pé!"

"Você está? E por que eu deveria ser um pai e marido caloteiro por uma noite? "

“Porque eu estou tendo uma noite de folga de Lexie, e você está tendo uma noite de folga de sua esposa. Somos homens e precisamos de uma noite masculina! "

Lexie, que estava por perto, revirou os olhos celestiais e Alex bufou ao se virar para ela para comentar um caso recente.

“Não, Derek. Precisamos de algum tempo longe da propriedade para apenas sair, beber e não fazer nada ”

"E falar sobre nossas mulheres?" - Derek perguntou secamente.

"Cale-se. Então, você e eu, cervejas e. Costelas! Cerveja e costela! ”

“Por que não hambúrguer com batatas fritas?” - Alex disse enquanto lançava um olhar para Lexie como se dissesse ‘seu namorado é ridículo’.

“Boa ideia, Karev! Você quer se juntar a nós? "

“Desculpe, tenho algumas crianças doentes para salvar esta noite”

"Você está citando–?" - Derek começou devagar.

“Vamos beber hoje à noite, vadia! E é melhor você vir, ou irei até sua casa e roubarei você como um selvagem! " - Mark exclamou enquanto se afastava. Lexie suspirou, mas aceitou corajosamente o olhar de pena de Alex e a sobrancelha levantada questionadora de Derek.

“Ei, agora, estou apenas namorando o cara” - disse a mulher, levantando as mãos em sinal de rendição.

“Eu sei que ele é bonito” - Derek parecia realmente arrependido - “mas você pode dar um fora nele, ok? Você não tem que ficar em um relacionamento com um cara maluco como aquele ”

“Olha quem está falando” - Alex apontou.

“Se você pegar quando eles são jovens e tudo mais” - Derek respondeu com um encolher de ombros resignado.

“Boa sorte esta noite” - Lexie conseguiu não rir dos ombros dele repentinamente caídos.

"Obrigado. Você fará companhia a Meredith? "

"Certo. Você se diverte agora, ok? Vocês, meninos, precisam de um tempo a sós ”- a mulher muito mais jovem teve a ousadia de dar tapinhas em seu braço.

“Vai ser uma longa noite” - Derek suspirou.

"O que está acontecendo. ”- Owen questionou com uma carranca.

“Não temos sido homens o suficiente para Mark” - Derek respondeu.

“Mark parece pensar que inerentemente torna a nossa noite mais viril”

"Por que esta noite precisa ser-?"

“Olha, sou amigo de Mark desde sempre. Fomos para a escola juntos, ele teve um caso com minha ex-esposa, agora estamos de volta a ser melhores amigos, ele está namorando minha cunhada. ”

“Isso tudo significa. Eu não sei o que há de errado com ele esta noite ”- eles se viraram para o valente Dr. Mark Sloan, que estava tentando domar uma grelha indisciplinada segurando seu suposto jantar. Ao lado dele, seu protegido Dr. Jackson Avery tentava ajudar de todas as maneiras que podia (embora ele estivesse tendo tanto sucesso na luta quanto o homem mais velho).

"Então. ”- Ben começou lentamente -“ Você é o melhor amigo, o pobre Avery é uma espécie de filho quase adotivo dele, e você é um homem, aparentemente ”- Derek suspirou e Owen balançou a cabeça -“ Por que estou aqui? ”

“Eu acho que ele queria tantos homens quanto pudesse. E Karev não pôde vir ”

"Boa coisa" - Owen bufou - "Você pode imaginar Karev tolerando a atitude machista de Sloan?"

“Extremamente irônico, considerando como ele costumava ser, mas sim, ele pode ter socado Mark agora”

“Teria feito esta noite um pouco mais valiosa, pelo menos” - Ben olhou para o relógio - “Eu já poderia ter jantado a essa hora se estivesse em casa. Com minha esposa e filho ”

“Ei, sem falar de esposas e filhos!” - gritou Mark, a alguns passos da grelha. Jackson parecia um pouco atormentado quando as chamas começaram a crescer e Derek estremeceu.

"Deus, vamos estar de volta ao hospital em pouco tempo, e não para o trabalho"

"Quem está de plantão esta noite?" - Ben questionou.

“Não há gente suficiente para salvar nossas bundas das palhaçadas de Mark” - Derek respondeu com um gemido - “O que eu não daria por um pouco de chuva em Seattle agora” - os três homens olharam com esperança esperançosa.

"Não deve demorar agora, meninos!" - Mark exclamou manicamente enquanto as chamas finalmente se retiravam e Jackson colocava um pouco de carne e vegetais na grelha.

"Este. Será uma longa noite ”- Owen afirmou solenemente.

“Pelo menos temos bebida” - Ben deu de ombros.

“E está no Mark, de qualquer maneira” - concedeu Derek.

“Aqui é a noite do nosso homem, eu acho” - o trio tilintou suas garrafas de cerveja.

“Esse é o espírito, rapazes! Agora, quem quer costela! ” - Mark gritou e os bons médicos se mudaram para curtir a noite de seus rapazes.

Notas:

Um pouco bobagem para começar o mês.

Acidente de avião? Que acidente de avião? Não, não sei do que se trata.

Capítulo 2: Roma - nesta cidade

Resumo:

Ele nunca teve um amigo como ele

Notas:

(Veja o final do capítulo para notas.)

Texto do Capítulo

Vorenus não era um homem feito de coisas suaves como amigos. Ele era um soldado primeiro, marido e pai depois. Ser amigo foi uma das últimas coisas que ele pensou que seria em sua vida e, em qualquer caso, mesmo que fosse amigo de alguém, como esse alguém poderia ser Titus Pullo de todas as pessoas?

Em um momento eles estavam quase se atacando sob forte chuva, com forças inimigas ao redor deles, gritando insultos que até uma prostituta acharia rude, no momento seguinte Vorenus estava recebendo o conselho de Pullo sobre como reconquistar sua esposa fria. E então eles estavam salvando a vida um do outro, quase se afogando, caminhando em um deserto e assistindo a ascensão e queda de grandes homens.

“. e então ela se levantou e disse: Pullo, eu sei que você está pagando pelo meu tempo ... ”

“Bastante atrevido de uma prostituta” - Vorenus apontou, tentando não se divertir e se encantar completamente com a história selvagem de seu amigo.

"Eu sei! Mas, em qualquer caso, ela disse: Você está ganhando meu tempo, mas isso não significa que você precisa usar minha boceta como usaria uma ovelha! "

“Muito mesmo! Eu disse isso a ela, disse a ela que estava gastando meu ouro com sua boceta, e sua boca e mãos e tudo o mais que eu quisesse, então ela deveria apenas contar suas estrelas da sorte, eu não era um bruto ”

“Eu agradeceria a você não espalhar isso, meu amigo”

“Mas você visita prostitutas”

“Quando eu tiver o ouro! E o que há, é uma maneira perfeitamente boa para um homem solteiro passar seu tempo, com uma boceta linda e doce ... ”

"Ora, Vorenus, você é um homem casado e sua esposa é muito adorável, tenho certeza de que você tem toda a boceta de que precisa-"

“Não fale sobre minha esposa–!”

“Estou apenas apontando a verdade, bom homem. Niobe é uma linda, gentil - Bem, ela é uma mulher linda, e você é um homem muito afortunado por ter seus favores ”

“Ela é minha esposa, claro que eu– Não fale da minha esposa dessa maneira”

“O que eu deveria dar para ter uma esposa esperando por mim em casa”

“Ou- Sim, uma casa seria um bom começo. Você não conhece nenhuma mulher solteira que me quisesse? "

“Sem casa? Ama uma prostituta? "

“E bonito, corajoso, um herói de guerra–!”

“Posso perguntar a Niobe, mas não conte com isso”

“Eh, eu não vou. Eu estive bem sem uma esposa irritante toda a minha vida, dificilmente fará diferença agora ”

“Niobe não é uma‘ esposa irritante ’”

- Não fique zangado comigo, Vorenus, você sabe que não é isso o que quero dizer. Ela é realmente uma boa mulher, muitos não esperariam anos pelo retorno de seu marido ”

Pullo bebeu seu vinho em grandes goles nojentos, mas Vorenus não tinha sido seu amigo, protegia suas costas quando precisava de nada e mal notava. Uma vez, ele teria latido para ele não ser tão desleixado, no entanto, ele passou a ver isso como uma qualidade cativante sua, bem ao lado da maneira como ele rasgava qualquer comida colocada à sua frente.

Não, Titus Pullo não era o tipo de amigo que um homem como Lúcio Vorenus, valente, sério, honesto e justo, jamais teria imaginado que teria, e ele duvidava que alguém que o conhecesse bem pudesse entender o que ligava os dois homens a um ao outro, o que fez Vorenus abrir sua casa para o grande e velho simplório, exceto que eles podiam ver a maneira como falavam, como relaxavam e como os deuses pareciam ter gostado deles, salvando-os até de uma tempestade que mataria (e mataria) homens inferiores.

Vorenus balançou a cabeça e em um momento de rara brincadeira, empurrou levemente Pullo quando o homem começou a contar mais uma história (novamente envolvendo suas desventuras com a putaria). O homem mais alto riu de surpresa e deu um tapa nas costas de Vorenus com tanta força que ele quase voou.

Antes, ele teria implorado aos deuses para livrá-lo de tal homem em sua vida. Agora, ele só podia silenciosamente exigir que eles permitissem a amizade deles pelo maior tempo possível.

Notas:

Eu gosto muito de Roma, não consigo evitar.

Capítulo 3: Diários de Lizzie Bennett - We Go, Go, Go!

Resumo:

Notas:

(Veja o final do capítulo para notas.)

Texto do Capítulo

“Olá, espectadores leais! Esta é Lizzie Bennett ”- a câmera mudou da ruiva risonha para a morena dirigindo -“ e a adorável Charlotte Lu. Diga ‘olá’, Charlotte ”

“Eu estou dirigindo, mas olá, Internet!” - seu sorriso não era tão grande quanto o de Lizzie, mas seus olhos brilhavam de entusiasmo.

“São Lizzie e Charlotte a caminho de Las Vegas!” - Lizzie fez uma pausa - “Uau, eu me senti como a Lydia lá”

"Sim. Bom, de qualquer forma! Este é o primeiro vídeo da nossa viagem para a minha despedida de solteira, yey! ”

“Eu não posso acreditar que Lydia de todas as pessoas decidiu voar para baixo em vez de dirigir conosco” - comentou Charlotte.

"Certo? Mas ela tem um teste hoje e uma apresentação amanhã, então ela está fazendo a coisa responsável e nos encontrando lá, assim como Jane e Gigi ”

"O que você acha que Darcy está tramando?"

“Espero que Bing e Fitz tenham conseguido levá-lo a um clube de strip ou algo assim”

“Você tem que ser a única noiva que quer que seu futuro marido veja os seios de outra mulher”

“Ei, eu planejo ver todos os strippers masculinos em Vegas, então por que ele deveria ter negado o mesmo? Além disso, a ideia de Fitz e Bing tentando arrastar minha noiva para um clube de strip? " - Lizzie balançou a cabeça enquanto Charlotte bufava - “Eu pedi a eles para filmar, eu preciso ver”

"Vocês não falaram sobre isso?"

“Nós meio que gostamos, mas acho que ele achou que eu estava brincando” - Lizzie virou a câmera para si mesma e disse muito séria - “Eu não estava brincando, William, vá ver algumas strippers. Para mim, baby ”

“Único” - disse Charlotte secamente.

“Olá, Internet. Charlotte e eu acabamos de chegar ao hotel, como você pode ver ”- Lizzie girou a câmera lentamente -“ Não é tão grande quanto em The Hangover. Mas quem precisa de algo tão grande? ”

“Se sua irmã estivesse aqui, ela diria que sim” - Charlotte apontou, sentando no sofá.

"Eh. Há espaço de sobra para todos nós e, além disso, não vamos passar muito tempo aqui de qualquer maneira ”- a câmera se voltou para Charlotte enquanto ela abria uma garrafa de champanhe.

“Sem noites selvagens de bebedeira”

"Vamos beber por isso. Para Lizzie Bennett ser a semana de despedida de solteira de Darcy! "

"Para mim!" - as melhores amigas riam enquanto bebiam o champanhe.

"-tão legal!" - Lydia, entrando no quadro, exclamou enquanto saltava.

“Este é um ótimo lugar, Lizzie” - Jane disse serenamente, segurando uma delicada taça de champanhe.

“William com certeza sabe como escolhê-los” - Gigi comentou antes de se virar para a câmera e acenar - “Obrigada, irmão mais velho!”

"Infernos, sim, obrigado!" - Lydia gritou - “Sua noiva é a melhor, Lizzie”

“Oh, Deus, não fique toda pegajosa com a gente agora” - Charlotte implorou enquanto Lizzie suspirava um pouco - “Haverá muito tempo para isso no final da semana”

“Porque eu vou ser uma mulher casada em alguns dias!” - Lizzie jorrou - “Internet, você teria acreditado quando postei aquele primeiro vídeo?”

“Não para Darcy, de qualquer maneira” - Lydia respondeu - “E eu pensei totalmente que Jane se casaria primeiro, ela é a mais velha, afinal”

“Bing e eu estamos indo devagar” - Jane corou lindamente e evitou olhar para a câmera.

“Quem se importa em ir devagar!” - Lydia gritou - “Você tem que prender aquele menino, mana. Quero dizer, nenhum dos seus rapazes é o meu tipo, mas eles estão bem ”

"Lydia!" - Jane e Lizzie exclamaram, embora esta última risse em sua bebida.

"O que eles são! Apoie-me, Charlotte. E Gigi, eu acho. Você conhece o Bing há mais tempo, ele não é meio gostoso? "

“Oh, eu acho que Bing é muito bonito” - ela sorriu para a câmera - “E meu irmão é o cara mais bonito do mundo” - Lydia fez ruídos engasgados enquanto Charlotte ria, Jane escondeu um sorriso e Lizzie concordou ruidosamente.

“Por que estou perguntando para a irmã do cara? Charlotte, você é totalmente neutra, o que você acha? "

“Eu realmente não deveria tomar partido. Como dama de honra e tudo mais, devo dizer que Darcy é a mais quente ”

“Mas é claro que o Bing também é muito bom, Jane”

“Deus me livre de vocês, pessoas educadas” - Lydia revirou os olhos celestiais.

"Ei pessoal! Você não vai acreditar no que aconteceu esta noite! "

"William!" - Gigi implorou para a câmera - “Se você está assistindo isso. Não faça isso, feche este vídeo agora, vá para o próximo, isso não é para você! ”

“Eu tenho que dizer, garota, eu estava super gelatinoso! Esse cara foi rasgado! " - Lydia exclamou - “Deus, o que eram aquelas armas!”

“Ele era muito bom” - concordou Charlotte. Jane, com o rosto vermelho, acenou com a cabeça um pouco em sua sugestão.

“Agora me sinto como uma futura noiva!” - Lizzie desmaiou - "Eu vi strippers quentes! E minha futura cunhada fazendo uma lap dance! ”

“NÃO foi uma dança erótica!” - Gigi, estranhamente vermelha e de olhos arregalados, protestou.

“Cara, ele estava te triturando e praticamente transando com você” - Lydia retrucou - “Deus, eu pensei que ele ia te agarrar ali mesmo e-”

"Parecia que ele ia-"

“William” - Lizzie, apertando os olhos para a câmera com olhos vermelhos, implorou - “Não veja este também”

"Cara, eu não perdi isso há muito tempo!" - Lydia disse animada - “Deus, vocês são todos uns fracos!”

"Alguém tem uma aspirina?" - Jane perguntou baixinho.

“Aqui” - Gigi, não parecendo tão ruim quanto os outros, disse. Charlotte apareceu com as mãos em volta de um grande copo d'água.

“Eu nunca vou beber de novo”

“Até a semana de despedida de solteira de Jane!” - Lydia quase gritou, e as outras mulheres se encolheram.

“Nem mencione” - Lizzie estremeceu e olhou direto para a câmera - “Meninos e meninas, não se esqueçam, pode ser bom enquanto vocês estão fazendo isso, mas a ressaca não vale a pena”

“Excluindo toda a parte da 'ressaca', esse conselho é bom para todas as coisas” - Lydia balançou as sobrancelhas e Jane suspirou um pouco enquanto mentia no sofá.

"Olá a todos! Este é o único, Lydia Bennett! Porque ALGUÉM tem que mostrar a mercadoria! ”

“Não tire a blusa, Lydia, por favor”

"Não se desculpe, Jane, eu não vou. É Vegas, não Mardi Gras ”

“Deus me livre” - Lizzie disse com um sotaque sulista forçado.

"Ei, eu colocaria todas as contas lá, e você sabe disso!"

“Não sei, acho que Gigi conseguiria mais” - disse Charlotte com uma risadinha. Gigi, fora do quadro, engasgou. Lydia estreitou os olhos e olhou para o lado.

"Ela tem um bom par -"

"O que? Qualquer pessoa com olhos pode ver, vamos ”- Lizzie agarrou a câmera com força.

"Não assista a este também, Will. Um pouco tarde, mas. Pare de assistir"

“. Eu não posso acreditar que você vai se casar amanhã! " - Jane gritou, as lágrimas ameaçando cair a qualquer momento.

“Aw, Jane!” - Lizzie abraçou a irmã. Ao fundo, Lydia, Gigi e Charlotte continuavam bebendo e comendo.

“Ela está noiva há meses, Jane, relaxe” - Lydia se intrometeu.

“Ela ainda vai morar em San Fran e você em Nova York”

"Jane!" - Lizzie agarrou a irmã novamente.

“Eu não gosto das choronas e bêbadas Jane e Lizzie” - comentou Charlotte.

“É um pouco estranho” - Gigi acrescentou - “Mas não tenho certeza se a beligerante Lizzie é melhor”

"Ei, pelo menos é engraçado, isso é justo. Irritante"

Na vanguarda, as meninas Bennett mais velhas continuaram chorando nos braços uma da outra.

"Oi pessoal. Espero que você tenha se divertido muito melhor com esses vídeos do que às vezes - ”

“Você só está dizendo isso porque você chorou demais na frente da câmera”

“Sim, obrigado, Lydia. Mas mesmo assim! Hoje estamos voltando para casa porque eu preciso me engatar! ”

“Caso contrário, a mãe iria pirar”

“Ou deixar você entrar em casa” - as irmãs se entreolharam e cobriram o coração com as mãos.

Como você pôde deixar aquele homem rico e maravilhoso escapar por entre seus dedos

! ” - começou a irmã mais velha, fazendo a voz de sua mãe.

“Não é para suportar, Elizabeth Bennett! Você deseja SER uma Sra. Bennett para o resto de sua vida ?! ” - Lydia continuou facilmente.

“Ela iria surtar, entretanto” - Lizzie confirmou em sua voz normal.

“Mas está tudo bem, porque vamos voltar agora. Gigi? ” - a mulher mais jovem apareceu na tela, mal conseguindo parar de rir.

“William, é melhor parar de assistir agora. Porque vou contar a Lizzie. E a Internet ”

"Conte-me sobre o quê?" - Gigi começou a rir.

“Então, Bing e Fitz conseguiram levar meu irmão para um 'clube de cavalheiros'. Ele encontrou o único Sr. Collins lá ”- quatro suspiros foram ouvidos.

"Senhor. Collins! ” - Charlotte exclamou de algum lugar fora do quadro.

“Fitz pode ter bebido um pouco demais também, então ele meio que subiu no palco-”

“–E claro que meu irmão tentou impedi-los de aprender a pole dance ali mesmo, mas, quero dizer, você viu William? As meninas já estavam se juntando a ele, como estava, mas com ele gritando coisas sobre como isso era impróprio e desrespeitoso para as "boas e trabalhadoras mulheres" lá. ”

"Eu ainda tenho uma noiva ou as meninas o engoliram inteiro?" - Lizzie perguntou secamente enquanto Lydia quase rolava no chão de tanto rir.

"Aposto que eles tentaram engolir -"

O vídeo terminou abruptamente com o queixo de Lizzie caindo, Lydia sorrindo e Gigi com a mão na boca. Os cachos vermelhos de Jane estavam visíveis logo acima da moldura, assim como os dedos de Charlotte alcançando a câmera.

Notas:

Depois de postar, percebi que era oo cedo para este. Mas dane-se.

Capítulo 4: Sexo e a cidade - apenas uma vez

Resumo:

Como quatro forças da natureza se juntaram

Texto do Capítulo

Há muito tempo, Carrie Bradshaw se considerava uma tempestade selvagem, perfeitamente bem por estar sozinha e separada das outras pessoas, muito refinada e quadrada para seus gostos. Por muitos anos depois de chegar a Nova York, ela observou as pessoas, conheceu todos os tipos de pessoas e nunca mudou de ideia. Ninguém era exatamente como ela no mundo, mesmo em um mundo dentro de si como Nova York.

A primeira pessoa a mudar de ideia foi uma Samantha Jones. Alta, escultural, loira e a pessoa mais confiante, honesta e espirituosa que Carrie já teve o prazer e a honra de conhecer. Eles se conheceram em uma festa e se uniram por cosmopolitas, e se tornaram amigos depois que alguém derramou sua bebida nos sapatos de Carrier e Samantha agarrou-os antes que Carrie pudesse sequer pensar em fazer um comentário. Eles compartilharam um sorriso quando Samantha perguntou se ela queria sair de lá e encontrar um lugar para pegar algo decente para comer.

Só assim, Carrie conheceu, pela primeira vez em sua vida, uma mulher que era uma força da natureza por conta própria, embora ela não achasse que alguém consideraria a única Samantha Jones qualquer coisa além de um furacão de salto alto , com uma libido igualada apenas por meninos adolescentes, Carrie uma vez disse a ela maliciosamente. Eles se tornaram amigos rapidamente, e Carrie se perguntava como ela teve tanta sorte de encontrar alguém que parecia não dar a mínima para nada além de si mesma, mas era facilmente uma das pessoas mais leais do mundo.

Se você se irritasse com Samantha Jones, não importa há quanto tempo ela o conhecesse, ela nunca iria apunhalá-lo pelas costas e sempre estaria pronta com uma pá para enterrar seus inimigos, ou então Carrie logo soube quando um cara a largou bunda na festa de aniversário dela e acabou flertando com Samantha. A mulher mais velha deu uma olhada em seu novo amigo antes de sorrir sedutoramente para o homem e, no final da noite, ele estava bêbado, nu e correndo pela festa enquanto Samantha vingativamente tirava fotos incriminatórias.

“Ele sempre que olhar para você, avise-me e os chefes deles receberão um pequeno presente pelo correio” - Samantha prometeu cruelmente, e Carrie se sentiu profundamente emocionada. Ninguém jamais havia jurado vingança por ela antes! Ela abraçou a mulher com amor, e eles riram enquanto iam buscar uma bebida.

Em seguida veio Miranda. Ruiva, advogada, durona e uma bagunça ao mesmo tempo, Carrie estava fumando quando a viu gritando com um homem qualquer na rua. Normalmente, Carrie não teria chegado perto da situação, mas algo sobre os ombros e costas da mulher disse a ela que este era um daqueles momentos em que ela deveria ser mais como Samantha e oferecer uma mão. As mulheres deveriam ficar juntas e tudo isso de qualquer maneira, certo?

"Ei, você está bem aí?" - questionou ela gentilmente, aproximando-se lentamente. A mulher se virou para ela, surpresa, e acenou com a cabeça hesitante.

“Sim, apenas” - ela balançou a cabeça - “Não é nada, estou bem”

"Ex-namorado?" - Carrie gesticulou para o homem que agora se foi.

“Algo assim, sim” - o ruivo fez uma pausa - “Para ser honesto, estávamos fazendo sexo casual, você sabe, e então ele me disse que é casado e sua esposa está grávida” - Carrie estremeceu.

"Você pode dizer isso de novo. Quão grande tem que ser um idiota para fazer algo assim? "

"Não, obrigado. Eu, ah, eu deveria. Ir"

"Ei, vamos, deixe-me terminar isso e deixe-me pagar uma bebida para você" - a ruiva franziu a testa.

"Eu estou. Não é lésbica, sabe ”

"Eu imaginei, com foder um cara, mas, não, é só. Parece que você precisa de uma bebida, e eu definitivamente preciso de uma, então por que não? "

"Você sabe o que? Foda-se. Eu sou Miranda, por falar nisso ”

E assim, Carrie conheceu outro amigo de longa data, alguém tão forte quanto Samantha, mas muito mais racional e menos ousado quanto a loira bombástica (então, Carrie não achava que ninguém no mundo, ou pelo menos Nova York, foi tão ousada quanto Samantha Jones). Miranda ficava tão tranquila em um dia bom quanto um lago, mas quando irritada, ela podia entrar em erupção como um vulcão - e até mesmo Samantha estava um pouco cautelosa em irritá-la.

Por um tempo, eram apenas eles. Carrie, vivendo sua vida e escrevendo sobre ela, Samantha, sempre procurando sua próxima aventura sexual, e Miranda, apenas tentando se divertir, mas nunca se curvando aos caprichos de um homem. E então, veio Charlotte York.

Carrie estava namorando um pintor com pouco ou nenhum talento, mas com uma mãe rica e indulgente, e tentando apoiá-lo em sua primeira exibição. Samantha e Miranda mal conseguiam manter os rostos retos enquanto olhavam para o trabalho dele, e suas risadinhas ocultas não ajudaram em nada Carrie. O cara era inteligente, atraente, o sexo era ótimo, mas ele era muito arrogante sobre sua chamada destreza artística, e estava matando algo dentro dela não apenas dizer a ele que ele era uma merda.

Ela não precisava, porque alguém a salvou.

Charlotte sorriu educadamente, perfeitamente educada e doce, e conversou com o namorado de Carrie sobre o trabalho dele. Ela conseguiu nunca vacilar, mesmo enquanto ele falava como se fosse a segunda vinda de Van Gogh ou algo assim, e então ela o questionou suavemente sobre sua técnica e uso de cor e inspiração, e ele tropeçou em suas palavras um pouco sob a inteligência da morena olhos experientes.

Enquanto ele se afastava derrotado por sua perícia, Carrie teve que deslizar até ela e perguntar seu nome e tudo o mais que pudesse.

“Obrigada” - o sorriso de Charlotte era continuamente agradável e Carrie queria saber o que mais ela havia escondido sob suas pérolas e falsidade.

"Meus amigos e eu vamos a um bar depois disso, não acho que tenho muita chance de continuar tendo um namorado, quer se juntar a nós?"

"Claro, por que não?" - o sorriso da morena ficou um pouco tímido e hesitante, e Carrie se perguntou quantas vezes ela deixava suas paredes caírem.

Por mais que Charlotte fosse gentil e como uma boneca de porcelana (em aparência e comportamento), ela sabia como se defender da ousadia de Samantha e da franqueza de Miranda, mas sempre com uma doçura que Carrie não tinha certeza era inteiramente honesta, embora com o passar do tempo e todos conheceram Charlotte, ficou claro que estava por trás da futura esposa troféu (como Miranda a chamava sarcasticamente antes de todas se tornarem boas amigas), havia tanta paixão quanto Miranda, tanta bravura quanto Samantha.

Em nenhum momento, Carrie teve que se perguntar como sua vida tinha acabado por ela ter amigas como Samantha, Miranda e Charlotte - com pouco ou nenhum esforço do seu lado. Eles eram todos lindos, inteligentes e leais, e quando ela parou para pensar sobre isso, ela teve que admitir que eles eram as melhores pessoas que ela poderia ter encontrado, de alguma forma, e por mais tempestuosos que cada um deles (incluindo ela mesma) poderia ser, ela não achei que nenhum dos quatro se arrependesse por um momento de ter se tornado amigo.

A vida em Nova York nunca foi entediante, e com suas garotas? Definitivamente não.

Capítulo 5: Flecha - Mantendo Sua Mão

Resumo:

Laurel disse inflexivelmente a Oliver para ficar longe de sua melhor amiga Felicity

Notas:

(Veja o final do capítulo para notas.)

Texto do Capítulo

“NÃO ACREDITO QUE ELE FEZ ISSO!” - Laurel rugiu e Tommy estremeceu um pouco. Ao lado dele, sua meia-irmã Thea, piscou para ela como uma cunhada.

“O que Ollie fez agora?” - o jovem de dezesseis anos questionou inocentemente. Laurel franziu a testa e claramente tentou controlar seu temperamento na frente da adolescente, mas Tommy podia ver o fogo em seus olhos. Ela estava incrível, mais quente do que nunca, embora algo lhe dissesse que seria uma ideia de merda contar isso a ela.

"Você conhece minha amiga Felicity?"

“Aquele loiro? Com os óculos? ”

“Sim. Ela é minha melhor amiga desde que éramos mais jovens que você, e eu sempre, sempre! Sempre disse a Oliver e Tommy para ficarem longe dela, não disse? " - Tommy assentiu obedientemente.

"Oh, sim, o que o seu adorável irmão playboy e perdedor fez?"

"Presumo que você esteja se referindo ao meu outro irmão perdedor?"

“Claro, como se Tommy fosse burro o suficiente para me trair” - o jovem promotor olhou para seu namorado com tanta força que ele teve que se perguntar por que ele se apaixonou por uma mulher que poderia olhar para ele tão bem quanto seu pai em um dia ruim , mas mesmo assim.

“O que Ollie fez? Estou quase com medo de perguntar, mas. ”

"Claro que não. Não, não, ele a convidou para sair, Felicity sabiamente disse a ele para se perder, porque ela o conhece bem o suficiente para não cair na toca do coelho, e então seu irmão idiota decidiu que ela era a pessoa certa para ele ”

“Ele começou a enviar flores, chocolate, computadores, peças de computador, óculos, maquiagem, sapatos, vestidos, joias e– QUE DIABOS ESTÁ ERRADO COM O SEU MELHOR AMIGO ?!” - gritou ela para Tommy, que tentou desaparecer no ar, mas Thea apenas riu dele.

“Eu acho que você quebrou ela” - sussurrou Thea stage.

“Oliver Queen não é exatamente conhecido por gostar de garotas. Ele é conhecido por ‘gostar’ de garotas ”- ela fez aspas no ar, e isso por si só mostrou a Tommy o quão profundo Oliver realmente era.

"Qual era o nome daquela garota? O russo médio? " - Thea questionou.

"Hum, você sabe, mana, você tem idade suficiente para ouvir isso. Eu não acho que isso foi perto do amor verdadeiro ”

“Eu não quero falar com você sobre minha vida sexual, mas sério, Tommy” - o olhar impressionado que ela deu a ele o fez se sentir a pessoa mais idiota do mundo.

Além disso, eca, ele definitivamente não queria, ele não precisava saber nada sobre sua irmãzinha -

"Olá! O que vamos fazer sobre isso ?! ” - Laurel exigiu.

“Qual é a situação agora?” - Thea interrompeu.

“Felicity está realmente considerando fazer um pedido de ordem de restrição, e só posso presumir que ninguém quer isso”

“Mamãe e papai prendiam Ollie e batiam nele com peixes de um dia” - Thea disse lentamente - “Quer dizer, seria super engraçado, mas ele é meu irmão, eu amo e tudo, então, talvez ele não precise uma ordem de restrição sobre sua cabeça ”

"E ele é meu melhor amigo e co-irmão, então definitivamente não quero que Felicity receba uma ordem de restrição contra ele"

"Ótimo! Então me ajude, como podemos impedir Oliver de ser seu playboy idiota de sempre, ir atrás de caminhos quase perseguidores? Eu mencionei que ele começou a enviar comida para o apartamento de Felicity? Ela está meio apavorada "

Às vezes, Tommy poderia passar horas defendendo seu melhor amigo, mas em momentos como este, ele tinha que se perguntar por que diabos ele ainda ficava em qualquer lugar perto do idiota. Ele normalmente conseguia uma dica de uma garota também, e conhecendo Felicity, ele tinha certeza que ela colocara Oliver em seu lugar mais de uma vez, a garota parecia bonita e pura e todas as coisas doces, mas ela sabia como bater verbalmente nas pessoas.

“Nós poderíamos amarrá-lo e dissuadi-lo dessa estrada realmente perturbadora e estranha que ele está tentando descer” - ele tentou.

“Eu sou o único que sabe de quem estamos falando?” - Thea perguntou bufando - “Este é o Ollie. Quando ele vê algo, ou alguém, que ele realmente quer, ele vai até conseguir, e aparentemente ele quer Felicity ”

“Daí a ordem de restrição” - Laurel acrescentou.

“Thea Merlyn Queen, nem mesmo” - ameaçou o promotor.

"Agora, espere, querida, deixe minha irmãzinha falar"

"Ollie quer um encontro com Felicity, eu só posso supor, então por que não dar a ele?"

“Tire sua cabeça da sarjeta, Tommy. It doesn’t have to be a one–on–one date either, it can be a group– Tommy, seriously, stop thinking dirty things”

“My baby sister is saying all the innuendos, trust me, I’m restraining myself”

“A group date?” – Laurel wrinkled her nose for a moment – “It’s gonna be a rough sell”

“Then Ollie can be his usual aggressively charming self, and he’ll be able to get it out of his system. No restraining order required”

“What could go wrong, Laurel? We’ll all be there” – Laurel sighed.

“Fine. But if she still wants to file that restraining order–”

“Just give us a head start to get my parents drunk so they don’t immediately go and punch Ollie in the teeth”

“And he’s got such nice teeth” – Tommy commented dryly.

Notas:

A slightly long walk on the Friendship genre, but, anyway.

Chapter 6: Slam Dunk – The Truth of the Matter

Resumo:

His friends didn't know what he was capable of

Notas:

**WARNING**

Attempted rape highly implied, nothing explicit but. BE WARNED.

(See the end of the chapter for more notes.)

Chapter Text

Youhei kept his hands in his pockets as he walked to the sinks. He took a quick look around before opening a faucet and letting the cool water wash away the nearly caked blood in in his hands and wrists. He rubbed them thoroughly while keeping an ear open to any intruders, there was no way he could just let someone walk in on him cleaning after himself.

He had been walking to school, alone for once, when he passed an alley and a quiet, muffled cry drew his attention. He stopped just after the alley and tried to make out what was happening in it, and after hearing a series of groans, moans and more cries, he decided he’d heard enough.

In the alley, behind a small wall of cardboard boxes, were two boys his age in front of the wall. Stepping closer, the boys turned his way and Youhei saw a terrified girl, her school uniform ripped almost to shreds, exposing her body for all to see. One of the boys kept a firm hand over her mouth, but her eyes settled on Youhei in fear, anticipation and panic.

“What you want?” – one of the boys growled, and Youhei frowned when he noticed his pants were undone.

“You can have her when we’re done” – the other boy, the one silencing the girl, added with a smirk.

“I think I’ll have her now, if you don’t mind” – Youhei said cooly, removing his hands from his pockets and staring down the taller teens fearlessly.

“She’s ours, so fuck off or wait your turn” – First Teen snarled.

Youhei knew what he looked like, he knew it was easy to dismiss him as just another cocky, mouthy guy with nothing to back it up, and that had been the downfall of many a foes. This time, it was no different, and when he moved with the ease of the experienced and skilled fighter that he was, First and Second widened their eyes in minute surprise just before he swiftly punched and kicked them.

It wasn’t exactly easy to knock them out, to drop ‘em and make them stay that way, but he wasn’t the guy who downed the likes of Mitsui for nothing. Once he was done, he turned to the still frozen girl and removed his jacket.

“Here” – he said, trying to be gentle. She slowly took it and after staring uncertainly at him, she put it on and wrapped her arms around herself – “Do you live around here?” – she narrowed her eyes in suspicion – “You should head back, I doubt you’ll want to go to school as you are” – she shook her head and flushed deeper.

“Your. Your jacket” – she said softly.

“Keep it, it’s not like I don’t have more” – she looked at her attackers – “Trust me, they won’t bother you again”

“I’ll make sure of it” – something in his tone must have reassured her enough for her to nod slowly.

“Thank you. They were– I don’t know what they. ”

“You don’t need to know. Run along now, I’ll take care of them” – she nodded again and quickly made her way out of the alley.

Youhei stared down at the groaning boys and tilted his head.

“Now. What should I do to you?” – he asked and opened a grin anyone would be insane to label anything other than ‘vicious’.

After he was done and the boys were. Less than inclined to ever rape anyone ever again, he was late to school but thankfully he managed to jump the walls and enter. The cold water on his hands awakened him from remembering the thrill of handling those assholes, and he splashed some on his face for good measure, wondering if anyone would give a shit if he downright skipped the entire day. He’d only come in for his hands, because he was sure the blood he’d washed off wouldn’t be able to be traced, not on a public school sink.

He wouldn’t make such an amateur mistake and clean up in his own house. He’d even changed his now soiled shirt and had plans to burn it to a crisp later, along with the rest of his clothes. At least the blood wouldn’t show on his pants, so it was fine for the rest of the day.

To his surprise, his friends (minus Sakuragi) were congregated in the roof they usually skipped class at.

“Yo” – he greeted, trying to keep it cool, though he knew that, for all that they appeared dumb (and often acted like it too), they were actually very perceptive.

“Busy morning?” – Noma questioned gruffly.

“Something like that” – he sat down and closed the circle they’d made.

“Give it to me” – Takamiya stated, and Youhei frowned.

“Give you what?” – Ohkusu snorted.

“Your shirt” – the blond said, motioning to his backpack – “I’ll get rid of it”

“I don’t know what you mean” – Youhei attempted, but his usually less than intelligent but extremely loyal friends looked at him like he was the dumb one.

“There’s only one reason why you’d arrive late to school” – Noma took over – “And that’s because you were too busy playing vigilante”

“I wasn’t doing anything like that” – and where his friend learned the word ‘vigilante’ was anyone’s guess.

“Every time you’re late we hear some asshole got their head bashed in” – Ohkusu commented.

“Or something” – Takamiya added.

“Coincidence” – Youhei said with a straight enough face, but they all saw through him, and he had to marvel at it.

“Just give me the shirt” – Takamiya repeated. With a sigh, Youhei rummaged through his bag before they could do it for him – “Can you do the rest yourself?”

“Of course he can” – Ohkusu argued – “I’m sure he’s an expert by now” – the trio snorted and Youhei boggled at them a little.

“We got your back” – Noma promised solemnly, and just like that, Youhei snorted and shook his head.

Notas:

Not sure if it's clear, but I was trying to heavily imply that Youhei is kind of a murderous vigilante. Less Daredevil and more- I haven't seen the second season, but I guess The Punisher? But with less skull shirts.

Chapter 7: Ally McBeal – Sides and Slides

Resumo:

John and Richard were the unlikeliest of friends

Notas:

(See the end of the chapter for notes.)

Chapter Text

He knew he wasn’t what most people would expect from John Cage’s best friend and partner and all around safe haven. John was a terrific lawyer, he looked like a ridiculous little man, and he kind of was, but in a courtroom, with the jury eating out of the palm of his hand, their eyes following his every calculated movement, the judge also unable to be anything but mesmerized by his effortless skills in his profession, John Cage was THE MAN.

And Richard Fish? He barely graduated from Law School, he rarely did any lawyering, his skills laying pretty much anywhere but the courtroom, and he was more or less of a joke in their Boston community of the defenders of the law, he knew. John tried to shield him as best as he could, but Richard heard the nasty whispers, he saw the mocking glances thrown his way, he felt people’s disdain for him, and as much as he tried, it stung some.

Sure, he wasn’t the best lawyer out there, by and large he was just the extremely handsome face of the firm, nothing more. John was the true lawyer of the two, he was the one whose fearsome reputation attracted clients and prospective employees to them, not Richard’s admittedly fanciful kinks and behavior. Richard was. He was the front man, John was the brains of the operation.

While being considered the lesser professional between the two, what really got to Richard most of the time were the personal comments, of how a man of John’s abilities and serious demeanor could possibly be friends with a man like Richard, whose mouth was constantly on the verge of getting him arrested, sued or simply punched. John, awkward and unsure of himself when it came to his personal life, was a stark contrast to his partner, and people took careful note of it.

John was never thought of less for his personal blunders (and Richard knew he would not handle it well if he ever heard a lawyer badmouthing John for his lack of smoothness outside of a courtroom), but Richard was constantly looked down on for– Well, everything he did. And didn’t do – mostly doing any lawyering.

They were bizarre together, he could admit, one tall, the other short, one stocky, the other lean, one almost always leering, the other extremely respectful, and back in Law School, Richard had received the brunt of their peers’ sneers, for John was kind and gentle like he was not, and it didn’t bother him then to hear that he was a loser, was he going to get John to carry him through the Bar exams like he carried him through Law School? The whispers of what a pushover John was for allowing Richard to, as they saw it, bully/buy him into constantly helping him were always quickly hushed.

Richard had adopted John, just as the other way around was true as well, and he did not like people thinking John was anything but his own man, who could very well choose his own friends, thank you.

“Why are we even friends?” – Richard asked John one day, after the latter won yet another case with his well honed skills.

“Excuse me?” – John nearly squawked indignantly.

“I mean. You’re like, one of the best lawyers in town, no doubt about that, and I’m– You know”

“A successful and skilled businessman?”

“But I’m a lawyer! Technically! Pretty much” – he ended a little less enthusiastically.

“We handle different parts of the firm, that’s all” – John said soothingly – “I wouldn’t have done a good job at doing all the things you do”

“Not like you do. People don’t even realize how much you take on while I go around being, as you put it, one of the best lawyers in town which, thank you, I guess?” – Richard huffed.

“I keep the firm caffeined and never let the toilet paper run out, so what?”

“And everyone’s always paid on time, all the staff is happy and loyal–”

“Other than the occasional backstabbing lawyer” – Richard mumbled.

“–and we are never out of work. It’s not like our reputation alone brings in business, don’t think I don’t know all the networking you do”

“Fancy word for ass kissing”

“No matter what words you use, it’s still impressive. I wouldn’t know the first thing about bringing in some of the clients we’ve had over the years”

“Do you think. I’m really good at that?”

“You’re the best at that” – John said gently.

“Well, you’re the better lawyer” – that got them both giggling.

“I’ll concede to that if you concede that that you’re the better administrator”

They shared grins and chatted about much lighter things as they walked over to the elevators.

“First round on me” – Richard announced as they got to the bar.

Notas:

They were my favorite characters, alongside Ling of course. I always liked their friendship =)

Chapter 8: London Has Fallen – An Odd Notion of Reality

Resumo:

The President was his best friend that was weird right?

Notas:

(See the end of the chapter for notes.)

Chapter Text

Mike sat in the dark in his sweet daughter’s room, watching her sleep and trying not to jump at shadows. He longed for the cool touch of his weapon, but he never wished to have anything that deadly near his innocent baby girl, no, she was his to protect, but. No, no guns, no knives, nothing like that around her.

He allowed his restless mind to travel away from the dangers of the world that could come and snatch his little angel at any moment and onto the mess that the world was still trying to mop up, even three months after the London debacle. He was ever glad that his job was just to protection and not politics, because he had strong suspicions that the President was getting less sleep than Mike – and Mike was starting to get used to running on fumes, between Lynne and the nightmares.

Ha. His faithful companion, his tormentors and regrets and guilty all rolled into one dark ball on every corner of his mind, stopping him during the day and downright trying to swallowing him whole during the night. Leah was worried about him, she watched him in the mornings with such sorrow and hope and expectation that sometimes he couldn’t breathe.

It was hard to reassure her that he was going to be alright, that he wasn’t breaking and she couldn’t do anything to help him, especially when she came over when Lynne woke in the middle of the night and he never failed to already be there.

For all that Ben looked worse than Mike, he still took the time to question his ever loyal protector, see how he was doing.

How he was coping. These were words that neither man could utter. Coping. How to cope with one’s wife dying in a tragic accident? How to cope with seeing torture and death and being unable to stop it? How to cope with doing the torturing and killing and enjoying it because of what came off of it? How to cope with your actions being the catalyst for the deaths of the world’s leaders?

Ben wasn’t okay. If Mike had nightmares about Lynne’s dimming eyes and Ben’s head being chopped off, he could only wonder what kept the Leader of the Free World from Sandman’s embrace. The burden of all the deaths in London? Of all the innocents? Of all the people who literally gave their lives so that Ben could live? Of the beatings he took, knowing that for all his faith in Mike’s abilities, he might not make it and his son would have to see his death all over the Internet?

So when Mike wasn’t to busy trying to breathe and not resent Lynne’s replacement, he tried to coax Ben out of his self–imposed shell, he tried to get him to go running with him, even though the new Secret Service agents were not the friendly, familiar faces of Voight and Bronson, he tried to get him to talk to poor Connor, who missed his father’s warmth so much.

It wasn't what Mike thought his life would look like when he was so excited to take leave before his daughter's birth, when the British Prime Minister died and he was tasked with protecting Ben in London. It wasn't what he expected after all that happened with the White House, but Lynne was in her crib, his boss was dead and Ben was likely awake as well, and nothing seemed safe anymore.

And his wife still wondered why he was always watching Lynne.

But Ben would work through it, Mike knew him, he knew him like he didn't really think he should know the President of the United States, he knew him like maybe he didn't even know Leah, and maybe it was because. They had saved each other's lives, they had trusted one another, Ben had opened up to Mike and begged him to end his life if needed be, and Mike swore he would.

He would have. Ben had wanted him to, and Mike would have stabbed him in the neck if he needed to, because they were friends, Ben was the best friend Mike had, after all the people he'd lost over the years and recently, and Mike was the closest thing to a friend that Ben had, between losing his wife and being the most powerful man in the world, a lonely position as Mike had ever seen.

Nothing would be easy about the future, but Mike would make sure his wife and daughter were protected, and that Ben knew that he had his back as usual. The world wasn't the same as it was, it hadn't been for a while, bu Mike hoped he could convince Ben that he was steady beside him, and everything would work out in the end.

Notas:

Finally a more serious story, though yeah, I'm not sure this was particularly friendship-ish.

That said, for reals, I did not like London Has Fallen BUT when. The WORLD Has Fallen comes out, I will watch it.


Assista o vídeo: Serena Williams vs Kiki Bertens 2018 Indian Wells 2R Highlights (Pode 2022).